Depois de Alegrete e Uruguaiana, Procon de Itaqui também vai verificar aumento de preços nos mercados

Em entrevista ao Cruzeiro Repórter na sexta-feira (28), a diretora administrativa do Procon Itaqui, Cristiane Gavião, disse que “o trabalho do Procon é um trabalho que vem do anseio da comunidade. O que chega até nós vamos estar averiguando. Inclusive os mercados, até dias atrás não havia nenhuma reclamação, mas agora chegou e já estamos averiguando”. Questionada sobre a ação e prazo para alguma resposta do órgão, Cristiane respondeu: “Estamos indo atrás para que a comunidade não venha a ser lesada. O Procon, juntamente com a Vigilância Sanitária, já estamos tomando as providências. Daqui alguns dias vocês terão o resultado que será divulgado pelas mídias”. Em Alegrete, os estabelecimentos comerciais terão que apresentar nota fiscais de compra junto aos fornecedores, de julho a agosto do corrente ano, para comparação e verificação de eventual aumento abusivo sem justa causa. Já em Uruguaiana, O Procon já vinha realizando um trabalho desde o início da pandemia. Porém, foi acentuado, ainda mais, por conta de diversas reclamações de populares, diante do aumento em vários produtos. Os principais itens relacionados pela população em suas reclamações são os preços do arroz, feijão, óleo de cozinha e hortifrutigranjeiros.

Foto: Ilustrativa / Agência Sertão